Oração Mental (II)

Para nos pormos na presença de Deus no começo da oração mental, devemos fazer algumas breves considerações que nos ajudem a afastar outras preocupações da nossa mente. Podemos dizer a Jesus: “Meu Senhor e meu Deus, creio firmemente que estás aqui, que me vês, que me ouves. Adoro-te com profunda reverência. Peço-te perdão dos meus pecados e graça para fazer com fruto este tempo de oração. Minha Mãe Imaculada, São José, meu Pai e Senhor, meu Anjo da Guarda, intercedei por mim”. Vejamos como Mons. Josemaría Escrivá comenta esta oração preparatória que muitos recitam ao iniciarem os seus minutos de meditação diária, depois de se persignarem.

Meu Senhor e meu Deus, creio firmemente que estás aqui, para escutar-me. Está no Tabernáculo, realmente presente sob as espécies sacramentais, com o seu Corpo, o seu Sangue, a sua Alma e a sua Divindade; e está presente em nossa alma pela graça, sendo o motor dos nossos pensamentos, afetos, desejos e obras sobrenaturais […]: que me vês, que me ouves!

“A seguir, o cumprimento, tal como se costuma fazer quando conversamos com uma pessoa da terra. Cumprimentamos a Deus adorando-o: Adoro-te com profunda reverência! E se alguma vez ofendemos essa pessoa, se a tratamos mal, pedimos-lhe perdão. Com Deus Nosso Senhor, a mesma coisa: Peço-te perdão dos meus pecados e graça para fazer bem, com fruto, este tempo de oração, de conversa contigo. E já estamos fazendo oração, já nos encontramos na intimidade de Deus.

“Mas, além disso, que faríamos se essa pessoa principal, com quem queremos conversar, tivesse mãe, e uma mãe que nos ama? Iríamos buscar a sua recomendação, uma palavra sua a nosso favor! Temos, pois, que invocar a Mãe de Deus, que é também nossa Mãe e nos quer tanto: Minha Mãe Imaculada! E recorrer a São José, o pai nutrício de Jesus, que também pode muito na presença de Deus: São José, meu Pai e Senhor! E ao Anjo da Guarda, esse príncipe do Céu que nos ajuda e nos protege… Intercedei por mim!

“Uma vez feita a oração preparatória, com essas apresentações que são de praxe entre pessoas bem educadas na terra, já podemos falar com Deus. De quê? Das nossas alegrias e das nossas penas, dos nossos trabalhos, dos nossos desejos e dos nossos entusiasmos… De tudo!

“Também podemos dizer-lhe com toda a simplicidade: Senhor, aqui estou feito um bobo, sem saber o que contar-te… Quereria falar contigo, fazer oração, meter-me na intimidade do teu Filho Jesus. Sei que estou junto de Ti, e não sei dizer-te duas palavras. Se estivesse com a minha mãe, com aquela pessoa querida, falar-lhes-ia disto e daquilo; contigo, não me ocorre nada.

“Isto é oração […]! Permanecei diante do Sacrário, como um cachorrinho aos pés do seu amo, durante todo o tempo fixado de antemão. Senhor, aqui estou! E custa-me. Ir-me-ia embora por aí, mas continuo aqui, por amor, porque sei que me estás vendo, que me estás escutando, que me estás sorrindo”6.

E junto dEle, mesmo quando não sabemos muito bem o que dizer, enchemo-nos de paz, recuperamos as forças para enfrentar os nossos deveres, e a cruz se torna leve porque já não é só nossa: Cristo nos ajuda a carregá-la.

Na oração diária encontramos a origem de todo o nosso progresso espiritual e uma fonte contínua de alegria, se estivermos decididos a estar “a sós com quem sabemos que nos ama”. A vida interior progride ao compasso da oração e repercute nas ações da pessoa, no seu trabalho, na sua atividade apostólica, no espírito de sacrifício…

Recorramos com freqüência a Santa Maria para que nos ensine como tratar o seu Filho, pois nenhuma pessoa no mundo soube dirigir-se a Ele com o carinho e a intimidade com que a sua Mãe o fez. E junto dEla, São José, que tantas vezes falou com Jesus, enquanto o Menino crescia, enquanto trabalhavam, enquanto descansavam, enquanto passeavam pelos arredores de Nazaré… Depois de Maria, José foi quem passou mais horas junto do Filho de Deus. Ele nos dirá como manter um trato íntimo com o Mestre, e, se lho pedirmos, ajudar-nos-á cada dia a tirar propósitos firmes, concretos e claros, que nos ajudarão a limar as asperezas do caráter, a ser mais serviçais, a estar alegres apesar de todas as contrariedades.

Fonte: Falar com Deus (http://www.hablarcondios.org/meditacaodiaria.asp)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s